Confira 4 dicas de decoração para o coworking no pós-pandemia

*Este texto foi reproduzido do blog da FWay

Para acompanhar a modernização do mercado de trabalho nos últimos anos, as empresas têm buscando adaptações tanto no modo como operam quanto em sua estrutura física. Antes vistos como tendência, o “escritório do futuro”, a redução das áreas de trabalho e o compartilhamento de espaços passaram a chamar a atenção das corporações.

Conhecida como coworking, a modalidade que já apresentava um sólido crescimento desde o ano de 2015, em 2019, teve uma elevação de 25%. No entanto, com a retomada das atividades de diversos segmentos, mesmo que aos poucos, a dúvida que fica é: o coworking pós-pandemia permanecerá em alta?

Especialistas da área afirmam que sim, principalmente porque diversas organizações tiveram a oportunidade de perceber que o trabalho remoto é viável, pois representa uma oportunidade mais flexível, que gera redução de custos e gera bem-estar aos colaboradores. Entretanto, naturalmente, a preparação desse ambiente deve considerar aspectos indispensáveis e que influenciam a produtividade daqueles que desempenham as suas funções no espaço — e a decoração é um deles.

A seguir, veja algumas sugestões práticas que farão toda a diferença para manter relevante o local de coworking no pós-pandemia. 

1. Aposte em uma paleta de cores que inspirem

Pesquisas em psicologia das cores afirmam que a aplicação das cores no ambiente são capazes de provocar as mais diversas sensações. Um estudo encomendado pela AkzoNobel, multinacional holandesa que atua na área de revestimentos e tintas e que detém a marca Coral, revelou que 73% dos entrevistados acreditam, por exemplo, que as cores não somente transformam os espaços, mas influenciam as sensações provocadas por eles.

Além disso, 71% ainda defendem que, após uma experiência negativa vivenciada, repintar a casa pode representar um novo começo. Entretanto, vale dizer que essa ideia não está limitada apenas aos lares. A relação entre as cores e o ambiente de trabalho deve ser considerada quando a intenção é construir um espaço que seja estimulante e que colabore de forma positiva para o pensamento criativo. 

A seguir, confira um pouco mais do que as tonalidades e as sensações que causam:

  • amarelo: é uma excelente aposta para um espaço que busca trabalhar o lado criativo dos profissionais, além de remeter ao otimismo e de estimular a busca por mudanças;
  • azul: é capaz de gerar sensações de tranquilidade e calmaria, tendo também uma forte ligação com a noção de profissionalismo e seriedade;
  • verde: é uma opção interessante para espaços reservados, por exemplo, as reuniões de negócios, já que é capaz de despertar segurança e, além disso, evita o cansaço dos olhos, que pode ser comum para quem trabalha por muitas horas seguidas no mesmo ambiente.

2. Use plantas na decoração

Não é novidade que as plantas conseguem tornar qualquer ambiente mais acolhedor e também purificar o ar que circula pelo local. Entretanto, entregando ainda mais benefícios, elas trazem sensação de conforto e acolhimento, reduzem o estresse e colaboram para uma estética mais agradável, influenciando, por vezes, até mesmo a produtividade.

No entanto, em geral, as áreas de coworking ocupam espaços fechados. Logo, é preciso ter isso em mente ao escolher as melhores espécies. Por exemplo, investindo em cactos, que não exigem um cuidado constante e que apresentam maior resistência, demandando a rega apenas uma vez por semana e desenvolvendo-se bem em locais que não recebem tanta luz.

As suculentas também podem ser uma alternativa interessante, já que, de forma similar aos cactos, não exigem grandes quantidades de água. Contudo, a diferença é que elas precisam receber luz solar por algumas horas por dia. 

O clorofito se adapta a ambientes frios e é resistente ao ar condicionado. Como prefere luz parcial, tende a florescer mesmo longe da janela.

Por isso, opte por plantas que não correm o risco de morrer e que ajudem a deixar o ambiente mais bonito.

3. Invista nas áreas comuns

Salas de café, áreas de descanso, espaços com opções de jogos etc. — não é novidade que a qualidade de vida no trabalho é um tema de debate importante dentro das empresas que estão cada vez mais preocupadas em manter os seus talentos e reduzir os níveis de absenteísmo.

No entanto, os investimentos nas áreas comuns vão além da necessidade de preservar a margem de lucros. O incentivo ao lazer no local de trabalho colabora para a elevação do engajamento dos profissionais, tornando o ambiente mais humanizado e estimulando, entre outras habilidades, a criatividade.

Além disso, em tempos difíceis como o atual, no qual ainda lidamos com os inúmeros impactos negativos do novo coronavírus, é inegável que práticas que objetivem o bem-estar e a saúde mental do colaborador demonstram que há, por parte da corporação, um interesse em zelar e cuidar daqueles que também construíram o sucesso do empreendimento.

4. Não deixe o conforto de lado

Por fim, um tópico que não pode faltar é a ergonomia. Embora todos os aspectos tratados neste conteúdo sejam essenciais, o conforto necessário (e, consequentemente, a saúde) para que o profissional desempenhe as suas atividades é essencial.

Uma mesa, por exemplo, que não está devidamente apoiada, ou não possui altura adequada, é algo indiscutivelmente incômodo.

Entretanto, uma cadeira fixa, sem rodízios, oferece pouca mobilidade, prejudicando a agilidade dos movimentos; sem a possibilidade de ajustes conforme a altura do colaborador, com um assento rígido e um encosto que, ao fim do dia, torna a dor nas costas uma constante é, sem dúvida alguma, inaceitável.

Considerando que os trabalhadores, em regra, passam a maior parte do seu dia no espaço corporativo — seja dentro da empresa contratante, seja em um ambiente de coworking —, é imprescindível oferecer um mobiliário de primeira linha e de alto desempenho.

Além disso, há a opção de inserir divisórias móveis nos ambientes, para trazer conforto acústico e segurança aos usuários do ambiente. Um modelo que está em alta, é o fabricado em policarbonato ou acrílico, pois ajudam a manter o contato visual e são de fácil assepsia.

Sendo assim, o primeiro passo é buscar empresas que usem matérias-primas que garantam a melhor performance e que desenvolvam as suas soluções com base em uma abordagem contemporânea, considerando as necessidades do momento presente. O escritório, mais que um aglomerado de equipamentos, é um ambiente construído por relacionamentos e, no cenário atual, nota-se uma forte tendência de permanência do coworking no pós-pandemia.

Para conferir outras dicas, você pode acessar o Blog da FWAY.

Nova lista

Editar lista

Você está em

Quer adicionar esse item a uma outra lista?

Você realmente quer remover esse item da lista?

busque por produtos, projetos ou designers

Olá, bem vindo a Home Design.
Como posso te ajudar?